quinta-feira, 16 de agosto de 2012

A Construção do Território e a Formação do Povo Brasileiro

                                                A Grandeza do Território Brasileiro

 Com uma área de 8.514.876 Km², o Brasil é o 5° país mais extenso do mundo, perdendo apenas para a Rússia, o Canadá, a China  os Estados Unidos, por consequência disso, o Brasil é considerado um país "continental", sendo que sua dimensão territórial é maior, qu a do total dos paises do continente europeu.
   O Brasil possui uma extensa faixa litorânea que é de 7.367 Km, e uma fronteira terrestre de 15.719 Km.

                                                    A Posição Geográfica do Brasil

   Todo o território brasileiro está localizado no Hemisfério Ocidental do planeta, ou seja, o Brasil encontra-se no lado oeste do Meridiano de Greenwich. Ja entre a localidade "Norte e Sul", o Brasil situa cerca de 93% de seu território abaixo da linha do equador, e apenas 7% acima dela.
   O Brasil por ter uma grande extensão territorial em sentido leste-oeste, possui 3 fusos horarios diferentes no país, todos eles atrasados em relação ao Meridiano de Greenwich. Com essa grande dimensão de território, o Brasil nos possibilita presenciar diversas e imensas paisagens naturais  culturais, muitas delas nos faz lembrar à história da ocupação e por consequência disto, a formação do território nacional.

                                                  A Formação Histórica do Território Brasileiro

   A formação histórica do território brasileiro iniciou-se no sec XVI, com o desembarque de navegadores portugueses no litoral oriental da America do Sul. A princípio, por meio do "Tratado de Tordesilhas" (documento assinado pelas duas potências maritimo-marcantes da época, Portugal e Espanha, no ano de 1494) esses exploradores vieram tomar posse das terras partilhadas com os espanhóis.

                                                  O Pau-Brasil e as Feitorias do Litoral

   Quando os navegadores portugueses chegaram ao Brasil, ele já era habitado há milhares de anos por diversos povos indigenas, com culturas muito distintas entre sí. Muitos desses povos foram submetidos pelos portugueses ao trabalho escravo, os que não aceitavam fugiam para as areas interioranas, ou eram mortos.
A população indigena que habitava o Brasil antes dos portugueses chegarem, sofreu uma redução drastica, atualmente os descendentes indigenas somam 350 mil pessoas em todo o pais, sendo que antes dos portugueses, habiltavam cerca de 3 à 5 milhões de indigenas em nossas terras.
   A ocupação portuguesa em nossas terras ocorreu apenas onde foi instaladas as Feitorias (locais litorâneos onde eram armazenadas as mercadorias extraídas da floresta), onde era fácil o acesso aos navios de onde eram embarcados para as metrópolis os produtos.
   Ao redor das Feitorias, os portugueses passaram a explorar especiarías e o Pau-Brasil. O Pau-Brasil é uma madeira, abundante e de grande valor comercial na época, ela era extraída da Floresta Tropical que ali existia.

                                                A Cana-de açucar e a Mão de obra Africana

   Um povoamento mais significativo das terras portuguesas na América do Sul ocorreu somente a partir da metade do Séc. XVI, com a implantação das lavouras de cana-de-açucar, desenvolvidas com o sistema de Plantation e dos engenhos para a fabricação de rapadura.
Foi no litoral paulista e depois, com maior sucesso, na costa nordestina, onde predomina o solo de Massapê, que essas atividades econômicas foram inicialmente desenvolvidas.
   Neste período iniciou-se o processo de desflorestamento da Mata Atlântica, a necessidade de novas áreas para a expansão canavieira e a demanda dos engenhos por lenha, para ser usada como combustível.

                                                            A Conquista dos Sertões

   Nos Séc. XVII e XVIII, ocorreu o inicio da exploração das áreas interioranas, os chamados Sertões, sobretudo por meio das atividades pecuária  mineradora. Essas explorações marcaram estes séculos.
   As criações de gado que foram expulsas da costa nordestina, para a implantação dos canaviais, deslocavam-se na direção montante dos pricipais rios da região.
   No séc. XVIII, principalmente nesse século, a atividade extrativa mineral ganhou uma grande importância, tanto que a sede do governo colonial foi transferida de Salvador para a cidade do Rio de Janeiro.
   Começaram a ser exploradas nesta mesma época, as chamadas Drogas do Sertão, produtos nativos da floresta Amazônica, como o cacau, usado como condimento, esses produtos eram chamados de drogas por causa que muitos possuíam poder terapêutico.

                                                        O Princípio de Uti Possidetis

   Os limites estabelecidos pelo Tratado de Tordesilhas foram transgredidos, por causa da penetração em direção aos sertões fez com que, as áreas ocupadas pelos portugueses no continente sul-americano infringinsse os limites implantados por este tratado. Os portugueses, então, começaram a disputar a posse por definitiva das terras da Coroa Espanhola, usando-se do princípio de Uti Possedetis, ou seja, as terras deveriam pertencer a quem as stivesse ocupando efetivamente, tanto com atividades econômicas, quanto com vilas povoadas.
   O Tratado de Madri, firmou-se em 1750, por meio do qual a Espanha reconheceu o direito português sobre a extensão de terras sul-americanas.
   Uma colônia de exploração, uma área em que a metrópole pudesse se apoderar de produtos com alto valor comercial, esse é o interesse dos portugueses para as terras da America do Sul, esse interesse está relacionado diretamente ao processo de ocupação territorial.

Nenhum comentário:

Postar um comentário